Qual a diferença de fazer bem feito?

Um grande amigo meu diz que quando se compra errado, você gasta 3 vezes. Geralmente, as pessoas dizem que são duas vezes, mas pela lógica dele, você gasta na primeira compra, gasta no tempo que se perde com o produto errado e finalmente, gasta novamente para comprar o certo. Sendo que sempre vai ficar com a sensação que a nova compra possa fracassar.

O mesmo se dá quando estamos contratando um profissional. É falsa a ideia que quando se contrata alguém especializado para um serviço o custo vai ficar mais alto. Empresários dizem que quando um material é feito via agência de publicidade, ou uma empresa de arquitetura, é mais caro; ledo engano, o poder de negociação e os atalhos que os profissionais conhecem compensam o custo dos honorários.

Embora tenha que concordar que existam profissionais e “profissionais”, a relação contratante/contratado deve ser de extrema transparência. O contratante deve saber onde a agência ganha, como ganha e porque ganha e também remunerar o profissional por seu trabalho. Claro que o “profissional” geralmemte compete com preço do seu serviço e isso faz com que ele tenha que ganhar de outras formas para sustentar seu negócio. Falando especificamente de agências: é comum (e errado) o “profissional” fazer orçamento e acrescentar um valor a mais para compensar o preço baixo que ele deu para os seus honorários.

É justo e compreensível que as agências tenham comissão sobre produções e veiculações, afinal, elas absorvem toda a negociação com o cliente e as produtoras e veículos as remuneram por esse serviço. Mas o empresário não é ignorante, ou não é por muito tempo, cedo ou tarde ele vai descobrir que estava pagando algo a mais além da comissão da agência.

Essa relação é péssima para o empresário, contratado e mercado. Para o mercado, coloca em descrédito todo um trabalho que possa estar sendo feito com ética e transparência por outros profissionais. Para o contratado, pois ele sempre vai estar escondendo algo e uma hora vai ser “pego no pulo” e finalmente traumatiza os empresários quanto à utilização de profissonais em sua empresa.

A solução é a transparência, mostrar para o empresário o que está sendo feito e se o profissional está ou não recebendo comissão pelo serviço. Documentação de todas as etapas de orçamento e autorizações de produção e veiculação, sendo que nessa devem estar explícitas os valores de comissões. Como também as empresas devem remunerar corretamente o profissional por seu trabalho, para que ele não caia na tentação de maquear orçamentos para conseguir pagar suas contas.

Já tive o prazer de trabalhar com profissionais e “profissionais”. Com os dois, eu aprendi bastante e me fez perceber que acima de tudo, o que importa na relação contratante/contratado é a confiança mútua. O empresário deve perceber que a agência é parceira e sempre vai buscar o melhor para ele e o contratado deve saber que o empresário não quer crescer sozinho e o sucesso dele é também o sucesso do contratado.

Anúncios

Qual maior o poder, maior a responsabilidade!

Olá, faz um bom tempo que não escrevo no blog, mas hoje deu uma vontade de escrever novamente.

O dia de hoje me fez lembrar de Tio Ben Parker, isso mesmo, o tio do homem-aranha. Para mim a única coisa boa naquele filme é o conselho que Tio Ben dá para Peter: um grande poder traz grandes responsabilidades.

Isso me fez pensar que existem três tipos de pessoas, as que querem poder e assumem as responsabilidades, as que não querem poder para não ter responsabilidades e a pior das três, as que querem poder mas não assumem as responsabilidades.

Esse tipo é o pior que pode aparecer em qualquer ambiente, pois vivem de aparência e quando devem assumir a responsabilidade, somem. Nada contra a busca pelo poder, o homem vive com esse objetivo, afinal dinheiro, status, estética e até conhecimento são apenas formas de exercer influência e por conseguinte, poder.

Minha Mãe dizia (acho que todas as mães dizem): Enquanto você depender de mim, vai ter que me obedecer. Isso de fato é o mesmo conselho recebido pelo homem-aranha, afinal, se você quer decidir alguma coisa, deve arcar com as consequências e custos de sua decisão. Bom, naquela época não poderia cumprir nenhum dos requisitos. (rs)

Então, se você quer ter peito para decidir alguma coisa (exercer poder) tenha certeza que será cobrado pelos custos e consequências de suas ações.

Infelizmente as pessoas não prestaram tanta atenção em Tio Ben e a melhor contribuição do filme para nos tornar melhores, talvez se perdeu. Querer exercer poder e fugir das consequências, no mínimo é covardia.

Não vou prometer data para a próxima atualização, mas ninguém pode reclamara de minha regularidade, atualizo o blog todo semestre. (rs)

O Olho de Thundera

Hoje, depois de muito tempo sem atualizar o blog, achei um tema que acreditava ser interessante para postar no ADMConquista.

Ultimamente, estou conversando com alguns amigos sobre o que é realmente necessário para ser um profissional de sucesso. Será a capacidade técnica? ou então perseverança ? pode ser também a boa utilização de seus contatos? bom, pode ser tudo isso junto. Mas vou tentar buscar aqui alguns pontos que acredito serem importantes.

Antes que alguém se pergunte: “o que esse aí pode falar de profissional de sucesso?”, vou logo adiantando, busco cada dia ser reconhecido por meu trabalho, não sei dizer ao certo quanto bem sucedido sou, mas acredito que estou no caminho.

olhoAgora vamos responder a segunda pergunta que possa alguém se fazer. O título do post é “O Olho de Thundera”, acredito que os jovens na faixa de 30 anos se recordem dos ThunderCats, um desenho animado que eu adorava quando era criança. Lion-O, o líder do grupo, tinha uma espada que lhe avisava quando algo de perigo estava por acontecer, era o Olho de Thundera que lhe dava a “visão além do alcançe”.

Acredito que uma das principais características de pessoas de sucesso é ter o Olho de Thundera, mas não para prever somente perigos, como também para antever oportunidades. Pessoas de sucesso veem oportunidades muito antes dos outros, era como se estivesse claro e notório como uma pedra no meio do caminho, entretanto, algumas pessoas pulam a pedra sem notar… algumas até tropeçam nela, mas não se dão conta de que alí, pode ter uma nova forma de fazer, entender, pensar, produzir… e ter sucesso.

Então vem outra questão: Onde compro esse “Olho de Thundera”? Alguns podem dizer que já se nasce com ele. Eu acredito que tem pessoas que já são assim, observadoras e perspicazes de natureza. Mas, também, podemos treinar nossa “visão além do alcançe”. Por que digo isso? Se você trabalha com construções, uma parede com um acabamento imperfeito salta aos olhos, como também minhas professoras de português viam a quilômetros os meus erros gramaticais. É preciso treinar nossa visão de oportunidades e para isso, basta cultivar o costume de analisar o que acontece em nossa volta, o que as empresas e pessoas de sucesso estão fazendo e buscar entender o que deu certo e errado com eles.

Também só observar não vai nos levar muito a diante. É necessário conhecimento de causa, estudar mercados, entender profundamente processos de gestão e se reciclar constantemente.

E o que vocês acham? quais os outros pontos para se ter sucesso? o Olho de Thundera é nato ou se aprende com o tempo?

Vamos continuar a entender os motivos do sucesso em outros posts e que Olho de Thundera me dê a visão além do alcançe !

Conteúdo de qualidade para acesso livre

Embora muita gente já conheça, é sempre bom informar sobre sites que tenham conteúdo de qualidade. Entre esses sites está o site do Instituto Endeavor. Lá você pode encontrar uma boa quantidade de vídeos (mais de 200) para acesso livre, basta somente um pequeno cadastro. Vale a pena acompanhar o conteúdo que é disponibilizado por eles.

Eu sou apaixonado!!!

Não, esse post não é uma declaração de amor a minha esposa, na verdade eu gostaria de falar de como é bom fazer aquilo que gostamos, como é satisfatório exercer uma atividade que você realmente seja apaixonado. Eu tenho a sorte de ter escolhido uma atividade que me faz muito feliz.

E quando estamos apaixonados, gostamos de apreciar a beleza e a perfeição do que se ama. Isso se dá também quando eu vejo uma empresa bem administrada, um projeto bem elaborado, ou então, uma campanha de marketing bem planejada e executada.

Estava viajando para Salvador, quando resolvi comprar alguns petiscos para comer durante a viagem. Entre algumas coisas, comprei um pacote de Amendoim Japonês. Quando fui comer, percebi que a embalagem era um pouco diferente, além do mecanismo para abrir mais facilmente o pacote, ela tinha um ziper, idêntico ao que é usado em sacos para guardar coisas na geladeira. E este momento foi especial, os lábios secaram, a respiração ficou ofegante, parecia que haviam milhares de borboletas na minha barriga. Pois é, era a presença do amor. ( rs )

Essa é uma daquelas situações que eu me pergunto: “porque não pensei nisso?”. Mas vou deixar a avareza de lado. Como é bom ver que alguém ouve o consumidor. Provavelmente, o consumidor não falou que queria um ziper na embalagem, mas pode ter dito que como a embalagem é grande, ele não consumia de uma só vez e o produto ficava mole.

Umas das funções do MKT é identificar as necessidades dos consumidores, as que os clientes dizem necessitar e as necessidades latentes. As latentes são as mais valiosas, é a necessidade que nem mesmo o cliente sabe que tem e quando você disponibiliza a solução para o consumidor, ele diz: “poxa, eles pensaram nisso, ficou muito melhor mesmo!”.

Fica o exemplo de que ouvir o consumidor não é só deixar uma caixinha de sugestões para ele deixar recados, é um processo de observação e pesquisa constante para atender cada vez melhor um consumidor exigente.

Mídia espontânea de gente grande

Bonecão em Natal

Bonecão em Natal

A mídia espontânea é uma ferramenta importantíssima na comunicação atual. Os consumidores estão cada vez menos sensíveis aos anúncios convencionais e a mídia espontânea proporciona que você, sua empresa ou seu produto se torne notícia, agrendando maior valor à mensagem.

Essa é umas das ferramentas dos Relações Públicas, que quando bem feita resulta numa multiplicação da mensagem como fogo em pólvora. Ainda mais, tendo em vista os blogs que estão sempre em busca de temas relevantes (ou não) para criarem seus conteúdos.

Uma ação muito bem feita foi a do Posto SAT / ALE, em Natal / RN. Eles criaram o maior boneco de posto de combustível do mundo. O site é muito legal, e trás informações hilárias. Está ai uma fórmula para criar mídia espontânea: criatividade + humor.

Segue o link para vocês verem o site. O Maior Boneco de Posto do Mundo.

A crise chegou ao blog

Primeiro, gostaria de pedir desculpas pela falta de atualização por esses dias. É que foram corridas essas duas últimas semanas.

Mas para compensar, vou tornar pública a minha promessa de atualizar o blog pelo menos duas vezes por semana. Conto com a ajuda de meus amigos/leitores do blog para atingir essa meta.

Desde o último post, o mercado financeiro continuou em constante turbulência, um sobe e desce frenético. Com isso, os governos se mobilizaram para divulgar os pacotes de ajuda para as instituições financeiras. Isso me fez pensar um pouco sobre a importância de determinados setores para a economia como um todo. Será que se Seu Joaquim acumular prejuízos na sua padaria por vender na “caderneta”, o governo iria socorrer o “pão nosso de cada dia” ? é claro que não !!!

Quando os bancos estavam ganhando milhões, durante um período de crescimento da economia, eles não dividiam com ninguém essa abonança. Entretanto, quando estão tendo prejuízo, os lideres dos países fazem uma paródia do Bolsa Família e criam o Bolsa Banqueiro. O montante do socorro é algo imensurável para a maioria da população mundial, pelo menos eu tenho que pensar um pouco para lembrar quantos zeros tem um trilhão.

Mas é claro que não podemos pensar somente pela emoção já que toda a economia depende do setor financeiro. Empréstimos às empresas para investimentos, para agricultores e pecuaristas, o microcrédito para pequenos empreendedores e até os juros da prestação do carro ou das compras do natal.

Mas porque não temos uma mobilização tão grande dos governos, para dar melhor educação para população ou para reduzir as desigualdades ?? Acho que se um dia por ano os governantes se empenhassem nessas tarefas com o mesmo afinco que se vê no tratamento com o mercado financeiro, esses problemas de “menor importância” seriam resolvidos.

Pode-se ensinar empreendedorismo?

Uma pergunta que sempre esquenta as discussões é se é possível ensinar alguém à ser empreendedor. Uma corrente defende que a pessoa já nasce empreendedora e assim, pode somente aperfeiçoar esse dom.

Um outro pensamento é que empreendedorismo é na verdade um comportamento, sendo possível o seu ensinamento, desenvolvimento e até redução dependendo do reforço que o indivíduo tenha.

Será que não são as duas coisas? será que a pessoa não pode nascer com o espírito empreendedor ou desenvolver esse comportamento mediante o ambiente que ela esteja inserida!? ou quem sabe um pouco dos dois. É nítido que algumas pessoas desde muito novas demonstram ser especiais, têm em seu íntimo uma inquietação por descobrir coisas novas e vêem oportunidades em tudo o que olhma (e as vezes nem olham, só imaginam).

Mas ser empreendedor é só ter visão e coragem!? Essa é a chave da questão. Comumente confundimos pessoas visionárias com empreendedores. O empreendedor tem uma série de habilidades que fazem com que seus negócios não sejam somente boas idéias, e sim empreendimentos de sucesso.

Entre habilidades estão organização, planejamento, foco, compromisso, responsabilidade e capacidade de ver oportunidades onde geralmente as pessoas só vêem problemas. E o que eu acredito ser o principal para um empreendedor é ter a sensibilidade de identificar seus pontos fracos e tentar corrigí-los, seja nele próprio ou buscando parceiros que possam suprir suas deficiências.

Podemos então dizer que existem pessoas com determinadas habilidades que, trabalhadas podem fazer com que se tornem empreendedores e isso será condicionado a partir dos reforços que esse indivíduo tiver em sua formação.

Existem também dois tipos de empreendedores, os empreendedores por oportunidade e por necessidade. O Brasil, infelizmente, está repleto de empreendedores por necessidade. Esse é o caso da pessoa que está sem emprego ou então chateado com a empresa e decide sair para tentar um negócio própria, mas só pelo fato de não ficar parado. Esse tipo de empreendedor agrega pouca inovação em suas empresas e engrossam a estatística de cerca de 80% de empresas que fecham nos 2 primeiros anos.

Já o empreendedor por oportunidade tem uma visão mais apurada e observa o mercado buscando oportunidades para desenvolver seu trabalho. Esse indivíduo geralmente é motivado pelo desafio, o sucesso financeiro também o estimula, mas fazer o novo ou melhor é o que faz o seu dia-a-dia.

Nesse caso, as instituições de ensino têm papel fundamental no processo de formação dos empreendedores, não só as faculdades, mas também a educação básica. Se nossas crianças forem estimuladas desde o início, quem sabe não teremos um país de empreendedores no futuro?

Mas o que vocês acham? empreendedores já nascem de berço ou são moldados pelos estímulos que recebem!?

Apertem os cintos, a bolsa caiu!

Quem tem investimentos em ações está com um friozinho na barriga. O Ibovespa despencou 7,59% ontem e hoje às 10h já acumulava uma queda de 3,63%. Isso é a média, porque quem tem ações da Petrobrás viu seus papéis despencarem por volta de 9,5% e a perspectiva não é muito boa, isso porque o barril de petróleo continua em queda. E como a composição da bolsa é, em grande parte, de empresas de commodites, podemos ter ainda mais quedas, visto que a procura por commodites vai cair, reduzindo a expectativa de lucro dessas empresas. Mas por outro lado isso é bom, já que o índice é puxado por essas commodites e não por possíveis perdas dos bancos brasileiros.

Ontem no Jornal da Globo teve uma entrevista com o Presidente do BC, Henrique Meireles e era claro que ele não diria as ações que o BC realizará para blindar a economia brasileira da crise, mas disse que a crise deve se manter por um tempo. Veja a entrevista.

Sabem aquela história de gripe mal curada? pois é, essa crise na verdade é uma crise mal curada. Ha cerca de um ano, nos EUA estourou a crise imobiliária. Os donos de imóveis financiados não tinham mais como arcar com as dívidas e o efeito dominó estava instalado. O Lehman Brothers ainda conseguiu resistir à primeira fase da crise (que tem como garantia do seu ativo, valores hipotecários), mas agora a gripe mal curada virou uma pneumonia. E como dinheiro no mercado de capitais é igual água corrente (sempre caminha para o lado mais fácil, nesse caso seguro), é evidente que os dólares de fundos de investimentos vão buscar lugares mais seguros para esperar essa crise passar.

Estima-se que essa crise traga um prejuízo de U$$ 3 trilhões no total. Até agora, mensura-se que já se foram de U$$ 500 a 600 milhões. Acredita-se que esse mal tempo do mercado financeiro não seja resolvido até o final do ano, mas que até o primeiro trimestre do ano que vem o mercado já terá se recuperado.

Mas o que fazer agora !? Bom, para quem tem papéis na bolsa, os especialistas recomendam não se desfazer agora no pico da crise. Como a expectativa é de que a crise dure somente até o primeiro trimestre de 2009, o bom mesmo é ficar quietinho e levar em consideração a recomendação de que investimentos em ações é para médio e longo prazo, a não ser que você seja um grande analista de mercado, com muita grana, e pretenda ganhar no dia-a-dia. A mesma recomendação vale para quem quer entrar – se pensa em fazer uma poupança, é válido arriscar, mas para ganhar em pouco tempo, é melhor buscar outros investimentos!

Bom, qualquer novidade atualizo o blog… atchin !!!

É difícil atender bem ?

Falar de atendimento nas empresas já seria tema para muitos post’s, e o atendimento no setor público? Para este, é necessário muitos e muitos blogs, jornais, artigos, monografias, dissertações, teses … É impressionante como os brasileiros são mal atendidos quando necessitam dos serviços públicos.

E esse processo não respeita as esferas de governo. O povo é mal atendido quando vai requerer os benefícios do INSS, no atendimento nas prefeituras, nas filas para marcar exames pelo SUS ou matricular filhos na rede de ensino fundamental pública. Mas por que eu estou tão chateado com o atendimento no setor público ? Como bom brasileiro, estou chateado porque mexeram comigo (lógico! Afinal, dificilmente ficamos inquietos quando esse destrato do governo é com outros cidadãos).

Fiquei dois dias ligando para o Detran-BA para saber quando chegaria minha habilitação e foram dois dias com o telefone ocupado ou não sendo atendido. Foi quando resolvi ir ao Detran e chegando lá, para meu espanto, o telefone estava simplesmente fora do gancho. Não me aguentei e tive que perguntar o motivo para aquele absurdo. A atendente então disse que não tinha como atender ao mesmo tempo o telefone e as pessoas que estavam no balcão e por isso, deixavam o telefone fora do gancho. E para minha surpresa não havia ninguém, além de mim, para ser atendido.

Mas qual o motivo para isso? Pode ser pelo uso inadequado da burocracia. Sim, a burocracia é necessária, não a “burrocracia” mas sim a teoria de Max Weber, que buscava formalizar as organizações com uma hierarquia bem definida, em suas funções e autoridades. Mas infelizmente, ela é usada para atrapalhar os procedimentos no serviço público (e também em muitas organizações privadas).

Um grande amigo e professor, Ms. Carlos Fernando Leite, desenvolveu sua dissertação sobre o comprometimento no setor público e chegou a conclusão de que os funcionários públicos mais motivados (ou seria menos desmotivados?) são aqueles que tem contrato e não os que são concursados. Bom, isso é até razoável, afinal, o concursado para ser demitido tem a seu favor processos administrativos “burrocratizados” que demoram anos para provar que ele realmente não estava fazendo o seu dever. Eu sempre tive comigo que o setor público deveria se espelhar na eficiência de algumas empresas de capital misto, como a Petrobrás e BB, que seus colaboradores (esse são tratados mais próximo do conceito) têm seus desempenhos avaliados e recursos para desenvolvê-los com eficiência, sem perder a estabilidade dos empregos.

Mas para não dizerem que não falei das flores. Os funcionários públicos também são jogados nos seus cargos, sem a capacitação necessária para as atividades (com raras excessões), sem recursos e ainda são obrigados a terem superiores que caíram de para-quedas por indicações políticas.

Com certeza é um problema que necessita de décadas para resolvermos. Mas acredito que será um grande passo se um concurceiro, quando questionado sobre o motivo de prestar concurso, antes de falar em estabilidade, dizer que quer ser a diferença e trabalhar para melhoria no setor que vai ocupar.

Ah! o que eu fiz sobre o Detran-BA, abri um chamado na Ouvidoria Geral do Estado por meio da Câmara de Vereadores, e pedi como solução para cortarem a linha do setor, pelo menos, economiza o dinheiro público, ou será que assim sobrará mais dinheiro para desvio ??? bom, já nem sei se foi o melhor a fazer !