Qual a diferença de fazer bem feito?

Um grande amigo meu diz que quando se compra errado, você gasta 3 vezes. Geralmente, as pessoas dizem que são duas vezes, mas pela lógica dele, você gasta na primeira compra, gasta no tempo que se perde com o produto errado e finalmente, gasta novamente para comprar o certo. Sendo que sempre vai ficar com a sensação que a nova compra possa fracassar.

O mesmo se dá quando estamos contratando um profissional. É falsa a ideia que quando se contrata alguém especializado para um serviço o custo vai ficar mais alto. Empresários dizem que quando um material é feito via agência de publicidade, ou uma empresa de arquitetura, é mais caro; ledo engano, o poder de negociação e os atalhos que os profissionais conhecem compensam o custo dos honorários.

Embora tenha que concordar que existam profissionais e “profissionais”, a relação contratante/contratado deve ser de extrema transparência. O contratante deve saber onde a agência ganha, como ganha e porque ganha e também remunerar o profissional por seu trabalho. Claro que o “profissional” geralmemte compete com preço do seu serviço e isso faz com que ele tenha que ganhar de outras formas para sustentar seu negócio. Falando especificamente de agências: é comum (e errado) o “profissional” fazer orçamento e acrescentar um valor a mais para compensar o preço baixo que ele deu para os seus honorários.

É justo e compreensível que as agências tenham comissão sobre produções e veiculações, afinal, elas absorvem toda a negociação com o cliente e as produtoras e veículos as remuneram por esse serviço. Mas o empresário não é ignorante, ou não é por muito tempo, cedo ou tarde ele vai descobrir que estava pagando algo a mais além da comissão da agência.

Essa relação é péssima para o empresário, contratado e mercado. Para o mercado, coloca em descrédito todo um trabalho que possa estar sendo feito com ética e transparência por outros profissionais. Para o contratado, pois ele sempre vai estar escondendo algo e uma hora vai ser “pego no pulo” e finalmente traumatiza os empresários quanto à utilização de profissonais em sua empresa.

A solução é a transparência, mostrar para o empresário o que está sendo feito e se o profissional está ou não recebendo comissão pelo serviço. Documentação de todas as etapas de orçamento e autorizações de produção e veiculação, sendo que nessa devem estar explícitas os valores de comissões. Como também as empresas devem remunerar corretamente o profissional por seu trabalho, para que ele não caia na tentação de maquear orçamentos para conseguir pagar suas contas.

Já tive o prazer de trabalhar com profissionais e “profissionais”. Com os dois, eu aprendi bastante e me fez perceber que acima de tudo, o que importa na relação contratante/contratado é a confiança mútua. O empresário deve perceber que a agência é parceira e sempre vai buscar o melhor para ele e o contratado deve saber que o empresário não quer crescer sozinho e o sucesso dele é também o sucesso do contratado.

Anúncios