Pode-se ensinar empreendedorismo?

Uma pergunta que sempre esquenta as discussões é se é possível ensinar alguém à ser empreendedor. Uma corrente defende que a pessoa já nasce empreendedora e assim, pode somente aperfeiçoar esse dom.

Um outro pensamento é que empreendedorismo é na verdade um comportamento, sendo possível o seu ensinamento, desenvolvimento e até redução dependendo do reforço que o indivíduo tenha.

Será que não são as duas coisas? será que a pessoa não pode nascer com o espírito empreendedor ou desenvolver esse comportamento mediante o ambiente que ela esteja inserida!? ou quem sabe um pouco dos dois. É nítido que algumas pessoas desde muito novas demonstram ser especiais, têm em seu íntimo uma inquietação por descobrir coisas novas e vêem oportunidades em tudo o que olhma (e as vezes nem olham, só imaginam).

Mas ser empreendedor é só ter visão e coragem!? Essa é a chave da questão. Comumente confundimos pessoas visionárias com empreendedores. O empreendedor tem uma série de habilidades que fazem com que seus negócios não sejam somente boas idéias, e sim empreendimentos de sucesso.

Entre habilidades estão organização, planejamento, foco, compromisso, responsabilidade e capacidade de ver oportunidades onde geralmente as pessoas só vêem problemas. E o que eu acredito ser o principal para um empreendedor é ter a sensibilidade de identificar seus pontos fracos e tentar corrigí-los, seja nele próprio ou buscando parceiros que possam suprir suas deficiências.

Podemos então dizer que existem pessoas com determinadas habilidades que, trabalhadas podem fazer com que se tornem empreendedores e isso será condicionado a partir dos reforços que esse indivíduo tiver em sua formação.

Existem também dois tipos de empreendedores, os empreendedores por oportunidade e por necessidade. O Brasil, infelizmente, está repleto de empreendedores por necessidade. Esse é o caso da pessoa que está sem emprego ou então chateado com a empresa e decide sair para tentar um negócio própria, mas só pelo fato de não ficar parado. Esse tipo de empreendedor agrega pouca inovação em suas empresas e engrossam a estatística de cerca de 80% de empresas que fecham nos 2 primeiros anos.

Já o empreendedor por oportunidade tem uma visão mais apurada e observa o mercado buscando oportunidades para desenvolver seu trabalho. Esse indivíduo geralmente é motivado pelo desafio, o sucesso financeiro também o estimula, mas fazer o novo ou melhor é o que faz o seu dia-a-dia.

Nesse caso, as instituições de ensino têm papel fundamental no processo de formação dos empreendedores, não só as faculdades, mas também a educação básica. Se nossas crianças forem estimuladas desde o início, quem sabe não teremos um país de empreendedores no futuro?

Mas o que vocês acham? empreendedores já nascem de berço ou são moldados pelos estímulos que recebem!?

Anúncios